background

Niuza Fernandes Cardoso Teixeira

A escola representa para a comunidade um templo sagrado de instrução e educação […] capaz de promover a aproximação entre as comunidades vizinhas e elevar a cultura, o econômico e o social da cidade.” (Profª Niuza)

Para mim, ser professor é ser missionário, é gritar aos quatro céus a ajuda do Senhor, para quando solicitado saber substituir o padre, o médico, o psicólogo, o engenheiro, o veterinário. No início da minha carreira fatos dessa natureza eram comuns…” (Profª Niuza)

Professora Niuza Fernandes nasceu no dia 04 de fevereiro de 1931 na Villa de Bonito, atual Igaporã. Filha de Oscar do Prado Fernandes e Alaide Fernandes Cardoso, teve como irmãos: Anísio, Camerino, Nelson, José Oscarino e Aloísio.

Estudou na Escola Normal de Caetité, local de inestimáveis lembranças. Com 12 anos, no período das férias escolares, a pedido de um vizinho, começou a alfabetizar crianças e adultos da região. As primeiras aulas se deram à sombra do juazeiro na fazenda do Arroz.

Terminado o Ginásio, saiu de Caetité e tentou lecionar em cidades distantes, de difícil acesso, mas logo conseguiu autorização do Estado para abrir a primeira escola no Alto do Cruzeiro, em Riacho de Santana.

Após alguns anos, mudou-se para Guanambi onde abriu a Escola de Educação Infantil Pequeno Polegar, na Praça da Bandeira. Durante as férias, viajou para o sul de São Paulo para trabalhar e fazer um curso de aperfeiçoamento em educação infantil – o antigo método Casinha Feliz.

Em 1948, foi nomeada professora do Estado para a cidade de Guanambi, onde ocupou a função de regente escolar do Grupo Escolar Getúlio Vargas. Com sua mansidão característica, ensinou as crianças com amor e dedicação, despertando-as para a cultura, as virtudes, a justiça e a responsabilidade. Sua calma servia, muitas vezes, como “água-benta” diante de qualquer complicação funcional, muito comum naquela época.

Em 1953, participou da luta pela criação do primeiro Ginásio de Guanambi. Naquele período, dava aulas de admissão, matemática e desenho. Em 1955, foi nomeada Delegada Escolar, cargo que exerceu até 1964. Como não havia sede da Delegacia Escolar em Guanambi, realizava os atendimentos em sua própria casa, onde com serenidade atendia, acalmava e elucidava a todos.

Em seguida, viajou para o Espírito Santo, onde, durante um ano intensivo, fez o Curso de Supervisão Escolar. Em 1971, passou a servir no Colégio Estadual Governador Luiz Viana Filho, onde também atuou como Diretora e continuou auxiliando na Supervisão.

Em 1974, casou-se com Carlos Teixeira, na cidade de Vitória da Conquista, adotando um novo sobrenome. Em 1975, retornou ao cargo de Supervisora e, em 1983, nasceu seu único filho. Permaneceu com o cargo de supervisão até sua aposentadoria, em 24 de janeiro de 199, deixando para as escolas de Guanambi um legado que, por muito tempo, guiou os professores.

Em 2004, ao se tornar viúva, muda-se para a casa do filho em Montes Claros. Em 2005 foi diagnosticada com câncer de mama. Lutou contra a doença com tranquilidade e resiliência, até a sua cura em 2011. Nesse período, nasceu sua, até então, única neta que, assim como o filho e sobrinhos, também tiveram o prazer de tê-la como alfabetizadora, amiga e confidente.

Em 2011, retornou com a família para sua casa em Guanambi, onde viveu em paz até seus últimos dias. Professora Niuza Fernandes Cardoso Teixeira faleceu no dia 07 de agosto de 2017, deixando eternamente sua marca na história da educação em nosso município.

Fonte: Biografia fornecida por karlaneft@gmail.com.

Entre em contato conosco através do e-mail

cl100anosgbi@centrouniversitariounifg.edu.br