background

Joaquim Fernandes

Filho de Manuel Fernandes Sobrinho e Rita Angélica Fernandes, Sr. Joaquim Fernandes nasceu na localidade Caatinga, zona rural de Caetité, em 29 de junho de 1909. Sua família era numerosa e não possuía muitos recursos financeiros; por esse motivo, desde cedo, dedicou-se ao trabalho para ajudar os pais. Ainda jovem, mudou-se para Caetité, onde morou com seu tio, Manuel Fernandes, e adquiriu alguma experiência no comércio.

Com o propósito de assumir seu próprio estabelecimento comercial e, assim, tentar progredir  financeiramente, mudou-se para Guanambi, onde montou uma pequena loja de tecidos e miudezas. Para vendê-los também nas regiões circunvizinhas, nos dias de feira, acondicionava alguns artigos de sua loja em grandes malas de madeira que eram transportadas em lombos de burros, transporte mais usado naquela época. Assim foi vivendo até melhorar de vida e fixar-se como comerciante.

Fez boas amizades. No ano de 1937, contraiu núpcias com a Profa. Celina dos Santos Gumes, caetiteense, filha de João Gumes e Antônia Dulcina Pinto Gumes. Dessa união nasceram três filhas: Dilma, Iara e Maria Belma.

Durante muitos anos exerceu a função de correspondente do Banco do Brasil, junto à agência de Caetité. Desvinculou-se dessa função com o surgimento da agência do Banco do Brasil em Guanambi. Exerceu também a função de Delegado de Polícia durante alguns anos. Ingressando na vida política, elegeu-se vereador, na década de 1940. Em 1950, candidatou-se a Prefeito Municipal; eleito, administrou o Município de Guanambi no período de 1951 a 1954.

Candidatou-se novamente, no ano de 1958; novamente eleito, assumiu a Prefeitura Municipal de 1959 a 1962.

O Sr. Joaquim Fernandes apresentou ao final do seu segundo mandato como prefeito, um relatório, falando de suas principais ações: cuidado com o abastecimento de água da cidade e a preocupação para resolver esse problema definitivamente (naquela época não se sabia de onde poderia vir o precioso líquido); serviço de iluminação pública, que era fornecido através de motores e que ele não deixava faltar; atenção especial à educação, fazendo funcionar todas as escolas municipais; manutenção das estradas municipais, que fluíam normalmente. O serviço de limpeza pública também funcionou ininterruptamente ao longo das sua gestão; houve ainda a construção do novo prédio da Prefeitura, do mercado de Mutãs e do prédio da cadeia de Candiba. Sancionou e deu cumprimento à Lei nº 26, de 14/12/1967, que concedeu
abono de Natal aos servidores da Prefeitura.

Joaquim Fernandes faleceu no dia 09 de outubro de 2010, aos 101 anos de idade.

Fonte: Dados de arquivo da família fornecido pelas filhas Dilma e Maria Belma Fernandes.